• Nova Amargosa FM

Diretor da Sincotelba comenta sobre a atual situação da agência dos Correios em Amargosa


Na última quarta-feira (26), a equipe de reportagem da emissora de rádio Amargosa FM, entrevistou Ademir Oliveira diretor do (Sincotelba), Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos na Bahia, que destacou atual situação da greve dos Correios e a situação da agência no município de Amargosa-BA.

Ademir afirmou que agência localizada na cidade de Amargosa- BA está funcionando parcialmente, onde a população pode continuar postando os seus itens e produtos mas sem muita perspectiva de entrega, uma vez que a maioria dos servidores aderiram à greve que ainda não tem previsão de encerramento.

Em entrevista o mesmo destacou os dois principais pontos que deflagrou a greve, segundo ele a direção dos Correios descumpriu a decisão Judicial do Tribunal Superior do Trabalho sobre a validade do acordo coletivo dos trabalhadores de Correios e ainda a redução de 40% do salário dos trabalhadores.

Greve

O Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos na Bahia (Sincotelba) mantém um efetivo de 30% para atender serviços essenciais na Bahia. A categoria está em greve, decidida pela Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas dos Correios e Similares (FENTECT).

A categoria se reuniu em assembleia na noite da última segunda-feira (17), em Salvador, e optou pela paralisação, que não tem previsão de terminar. Com isso, apenas serviços essenciais são realizados nas agências dos Correios e nos centros de distribuição de encomendas.

Os funcionários decidiram pela greve em oposição às propostas de privatização da estatal, e também alegam que há negligência com a saúde dos trabalhadores na pandemia. Eles informaram ainda que os Correios retirou cláusulas contratuais que previam alguns direitos.

Entre as cláusulas estão o 30% do adicional de risco, a suspensão de tíquetes nos dias efetivamente não trabalhados (como férias, afastado pelo INSS e diminuição do mês). Além disso, eles pedem também a volta dos auxílios especiais e de babá ou creche.

Da redação Amargosa FM

39 visualizações0 comentário