• Nova Amargosa FM

Mulher é curada do HIV após transplante de células-tronco


A medicina deu mais um passo gigantesco, necessário e bastante otimista! Uma equipe de cientistas do New York-Presbyterian Weill Cornell Medical Center, nos Estados Unidos, comunicou em nota que, pela primeira vez, uma mulher foi curada do HIV, através de um tratamento inovador, feito a partir de células-troncos.

A mulher recebeu sangue do cordão umbilical de um bebé com resistência genética ao Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH). E também recebeu células estaminais (com capacidade de auto-renovação) de um dador adulto.

De acordo com os cientistas, a paciente também tinha leucemia desde 2017. Para que a equipe reconhecesse a cura, ela aceitou passar por um procedimento polêmico já que a nova terapia é considerada antiética em pessoas que não estão em estado terminal da doença.

“Paciente de Nova Iorque”

Para que a pesquisa aconteça sem grandes especulações, a mulher nao teve o nome revelado e foi batizada de “Paciente de Nova Iorque”, na nota emitida pelo centro médico.

Segundo os pesquisadores, ela ainda seguirá em tratamento e será acompanhada pela equipe médica e pelo time de cientistas que desenvolveu a terapia. No entanto, as primeiras respostas já foram muito animadoras, já que havia risco de morte e rejeição inicialmente.

“O facto de ela ser mestiça e ser mulher é muito importante cientificamente e muito importante em termos de impacto na comunidade”, disse Steven Deeks, especialista em AIDS da Universidade da Califórnia.

Steven explica que o vírus progride de maneira diferente nas mulheres do que nos homens, por isso foi importante a escolha da paciente.

Ele também ressalta que, mesmo as mulheres sendo a maioria dos casos de VIH no mundo, apenas 11% se apresentam como voluntárias nos ensaios que visam alcançar a cura.

Outros casos

Além da Paciente de Nova Iorque, outros dois homens foram curados da HIV. Um deles é norte-americano Timothy Ray Brown. Brown foi chamado de “O Paciente de Berlim” na Conferência sobre Retrovírus e Infecções Oportunistas de 2008, onde sua cura foi anunciada pela primeira vez, para preservar seu anonimato.

Timonty recebeu um transplante de células-tronco de um doador com uma anormalidade genética rara, na qual as células atingem a resistência natural do HIV.

Diferente da atual paciente, ele também estava com leucemia mieloide aguda em estado avançado.

O segundo paciente curado de HIV, que teve o caso contado no SoNotíciaBoa, foi Adam Castillejo, de 40 anos. Ele nasceu na Venezuela e vivia com o HIV desde 2003.

Adam tinha Leucemia e havia recebido um transplante de células-tronco de medula óssea.

Por sorte, o doador tinha uma mutação, um DNA resistente ao vírus e isso tornou Adam Castillejo também resistente ao HIV.

Por Monique de Carvalho / Só Notícia Boa

54 visualizações0 comentário